Apoio:


sábado, 9 de janeiro de 2010

Foz, Estrada Real e Belo Horizonte

Expedição Foz, Estrada Real e Belo Horizonte*

Parte 1

* O nome inicial da viagem era Expedição Foz, Estrada Real e Machu Picchu, pois tínhamos como destino final a cidade peruana, contudo, em razão de alguns acontecimentos, relatados aqui, a aventura finalizou temporariamente na capital mineira, Belo Horizonte. No entanto, o planejamento completo está disponível.

Preparando uma nova expedição; Roteiro.

Em 2009, assim que retornei do Rio de Janeiro, meu objetivo era finalizar a monografia, última matéria para me formar na universidade. Nos primeiros meses, ainda me dediquei aos estudos. Mas a condição financeira em casa não era das melhores e fui obrigado a procurar um emprego para estabilizar as contas.

Consegui um emprego no mês de Abril, comecei a trabalhar de caixa atendente em um posto de combustível. Trabalhava por escala e sem horário fixo. Com isso ficou muito difícil conciliar trabalho e estudo, uma vez que, o Trabalho de Conclusão de Curso necessita de toda uma atenção especial. Como não poderia deixar de trabalhar até que estabilizar as finanças, tive que optar por deixar a monografia para 2010. E assim continuei no trabalho.

Com o tempo, consegui além de ajudar nas contas da casa, comprar uma bicicleta nova. E assim começar a pensar na possibilidade de uma nova expedição. Entre tantos destinos, fiz um breve roteiro para Machu Picchu no Peru e deixei o planejamento na comunidade Cicloturismo no orkut. A principio um amigo de Mato Grosso estava disposto a seguir viagem aos Andes comigo. Contudo, meses depois disse que não seria possível. E quase abandonei a idéia de ir ao Peru.

Fiquei pensando em outros caminhos que poderia seguir, cogitei a idéia de ir para a Amazônia, litoral do nordeste ou pantanal. Conversando com um outro amigo, Estêvão de Limeira/SP, combinamos de fazer a Estrada Real, de Parati no Rio de Janeiro até Diamantina em Minas Gerais. E então começamos a planejar o roteiro, distância e tudo que é necessário para embarcar em uma expedição de bicicleta.

Acho que em setembro de 2009, Guilherme, um ciclista de Pinheira/SC, fica sabendo da minha viagem para Machu Picchu através do fórum na comunidade e resolve entrar em contato para saber maiores detalhes. Explico sobre as mudanças de planos, mas faço a seguinte sugestão, seguir conosco para a Estrada Real e depois avançarmos para o Peru. Afinal de contas eu já tinha uma viagem planejada com o Estêvão. O Guilherme, muito animado para seguir viagem, aceita a sugestão de sair de Foz, seguir para a Estrada Real e depois à Machu Picchu. Estava decidido. A próxima aventura seria uma mega expedição.

Começaram os preparativos. Não foi nada fácil fazer o roteiro, comecei a estudar as rotas possíveis e a traçar as melhores opções. Com uma distância considerável, achei melhor preparar a planilha por etapas. Assim o roteiro finalizado com 7,233 km’s e distribuído em seis etapas tem como cidade de partida Foz do Iguaçu no Paraná, onde atualmente estou morando e segue dessa maneira:

1ª Etapa:

Saída: Foz do Iguaçu/PR

Chegada: Limeira/SP

Distância: 1004 km’s

2ª Etapa:

Saída: Limeira/SP

Chegada: Parati/RJ

Distância: 415 km’s

3ª Etapa: (Estrada Real)

Saída: Parati/RJ

Chegada: Diamantina/MG

Distância: 1041 km’s

4ª Etapa:

Saída: Diamantina/MG

Chegada: Corumbá/MS

Distância: 1883 km’s

5ª Etapa:

Saída: Corumbá/MS

Chegada: Sucre/Bolívia

Distância: 1165 km’s

6ª Etapa:

Saída: Sucre/Bolívia

Chegada: Cusco/Peru

Distância: 1725 km’s

Distância Total: 7,233 km’s

Estilo de Viagem

Desde o plano inicial de fazer somente a Estrada Real, a intenção era fazer uma viagem mais tranqüila, com mais tempo disponível para aproveitar e conhecer melhor as cidades, as culturas, histórias e as belezas naturais dos lugares por onde passarmos. Por isso, já pensava em fazer uma quilometragem menor de Parati até Diamantina. O Estêvão aceitou viajar dessa maneira. E quando o Guilherme entrou em contato, mencionei o mesmo estilo de viagem, que por sinal é similar ao modo de como pretendia seguir. Então ficamos acertados ao ritmo da aventura.

Definido o estilo da viagem, o planejamento foi realizado a partir do tempo disponível de cada um. E assim, a viagem total vai ser de no mínimo três meses em ritmo tranqüilo, principalmente na Estrada Real, onde o percurso é quase em sua totalidade por estrada de terra e repleto de história e uma natureza com sua fauna e flora extremamente ricas. É o maior percurso turístico do país. Somando todos seus caminhos, mais de 1600 km’s. A Estrada Real é o antigo caminho utilizado pela coroa portuguesa para levar o ouro das Minas Gerais até os portos de Parati de onde seguiam para a Europa.

De Ouro Preto em Minas até Parati, o trajeto é conhecido como o Caminho Antigo, da cidade mineira até Rio de Janeiro é considerado Caminho Novo. Portanto, nossa viagem segue pelo Caminho Antigo e posteriormente pelo Caminho dos Diamantes, de Ouro Preto até Diamantina. Uma escolha para voltar à bela cidade de Parati, onde tive o privilégio de visitar em 2009 na expedição Curitiba x Rio. Dessa vez pretendo ficar mais tempo para conhecer ainda melhor o local.

Saindo de Foz no dia 11 de Janeiro, partimos para Limeira onde encontraremos o Estêvão, depois seguimos para o litoral paulista até chegarmos em Parati, para então começarmos a Estrada Real, em Diamantina o Estêvão volta para Limeira, Guilherme e eu seguimos em direção a um pequeno trecho no Estado de Goiás e adentramos no território sul mato-grossense, por onde conheceremos o pantanal na região de Corumbá, nossa última cidade no Brasil. E finalmente atravessaremos a primeira fronteira internacional, Bolívia.

Na Bolívia, vamos pedalar até Santa Cruz de la Sierra, avançando um pouco, nos direcionaremos para La Higuera, cidade onde o revolucionário Che Guevara foi assassinado. E então seguiremos para Sucre, Potosi, a mais alta cidade do mundo. De Potosi rumo ao Salar de Uyuni, maior deserto de sal do mundo. Após atravessar o imenso salar, vamos para Oruro e finalmente La Paz, capital boliviana. Nossos últimos quilômetros na Bolívia serão na região de Copacabana, onde conheceremos o lago Titicaca e partiremos para Puno no Peru, terminando a expedição em Cusco, de onde seguiremos para a caminhada nas trilhas incas até Machu Picchu.

Equipamentos:

Uma viagem de três meses necessita de alguns itens indispensáveis, sobretudo, na região de altitude por onde passaremos. Para evitarmos surpresas desagradáveis pelo caminho, fiz, acredito eu, um bom planejamento. Começando pela bicicleta.

Bicicleta: Uma GTS M5, modelo 2009 com grupo Shimano Alivio completo, suspensão GTS CL, selim GTS, pneus Pirelli 1.9 BM-90, aro aero V-Zan Extreme, bagageiro traseiro Tranz-X, Alforje traseiro POC, 75 litros, bolsa de guidão Curtlo. Velocímetro Sigma 906.

Para acampar; Barraca simples, saco de dormir, isolante térmico, cobertor de emergência em caso de temperaturas baixas, mini fogareiro, panela, pratos plásticos e talheres.

As roupas da viagem serão descritas em outra postagem, ainda estou separando o que vou levar. No mais, estamos devidamente preparados para seguir viagem. O Guilherme que está em Foz desde o dia 26 de dezembro, quando chegou pedalando de Santa Catarina, já foi algumas vezes para o Paraguai, comprar alguns itens para a viagem, como filmadora, gps e peças para a bicicleta.

Agora é aguardar o grande dia e seguir.

Um comentário:

  1. Fala ai mermão, estarei acompanhando tudo aqui no blog, um grande abraço e toda sorte do mundo para vc's!!!

    ResponderExcluir