Apoio:


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Destino: Florianópolis - Ilha da Magia

Expedição de Verão - Parte 4

Chegando para ficar.

Último dia. Amanhecemos de frente para o mar e ainda que o tempo estivesse nublado, isso não tirou o brilho da natureza. Levantamos acampamento, nos despedimos da Dona Neu e fomos na direção que o Kiko nos ensinou para pegar a 101 novamente. Na Highway o pensamento era de aproveitar os últimos instantes antes da chegada.

Por poucos momentos na viagem fiquei pensando se daria certo ou não minha mudança, aonde iria realmente ficar e tantas outras coisas. Simplesmente meu pensamento era positivo o suficiente para focar na viagem de Foz a Floripa, afinal o importante é aproveitar o caminho e isso estava sendo feito.

O tempo nublado nos acompanhou de novo. Quando chegamos à parte continental de Florianópolis fomos recepcionados por muito trânsito e uma placa de boas vindas. Quilômetros depois avistávamos a famosa ponte Hercílio Luz. Antes de atravessar a ponte Colombo Salles paramos no ponto de informações turísticas para perguntar como chegar à Praia dos Ingleses. No local fomos muito bem atendidos e ainda informados que deveríamos atravessar a ponte por baixo, onde existe um local especifico para a travessia de ciclistas. Seguimos a recomendação e logo estávamos na Ilha.

Finalmente, Florianópolis.

Primeira vista da Ponte Hercílio Luz.

No espaço reservado na parte inferior da Ponte Colombo Salles que liga o continente à ilha.

Victoria na Ilha da Magia, valeu a pena.

"Hasta la Victoria Siempre"

Ponte Colombo Salles ao fundo.

Saímos da ponte direto na ciclovia com mais chuva, pra variar. Percorremos cerca de 6 km por ela. Durante o caminho avistamos na avenida beira-mar norte uma placa indicando 35 km até o nosso destino final. Pode parecer pouco, mas não para quem estava ansioso para chegar na praia.

Ciclovia na beira-mar norte.

Ingleses: 35 km!

Chuva. Ainda antes de sairmos da ciclovia ela voltara a cair. Já no final da ciclovia não achamos um local para atravessarmos na mão certa do trânsito. Infelizmente pedalamos uns três quilômetros na contramão por falta de opção até encontrarmos uma abertura no guardrail que separava as duas pistas. Foi difícil atravessar porque não parava de passar carro, foi tenso.

Na mão correta seguimos em direção aos Ingleses. Duas, três subidas mais fortes marcam o trajeto. Na última delas, uma surpresa. Uma motocicleta para no acostamento e nos espera. Era o amigo Anacreone e o Marlon de Maringá. O primeiro eu conhecia pela internet, pois é cicloturista também. Havíamos algumas vezes conversado sobre a possibilidade de passar uma temporada em Floripa, juntar grana e ir à Machu Picchu. No entanto, em dezembro de 2010 ele disse que talvez fosse de motocicleta, contudo, ficou uma questão em aberto e não conversamos mais concretamente sobre o assunto. Por isso a surpresa em encontrá-lo.

Anacreone estava indo procurar casa para alugar nos Ingleses uma vez que em Canasvieiras não tiveram muito sucesso. Falo que estou chegando em Floripa na intenção de ficar um tempo e assim, se encontrarem alguma casa, poderiam contar com a minha presença para dividir as despesas. Até o momento eu iria ficar um dia no hotel onde a namorada do Alexandre e alguns amigos estavam hospedados à sua espera, justamente na praia dos Ingleses. Depois eu seguiria ao continente de novo para ficar na casa do amigo Alessandro que me ofereceu hospitalidade necessária até que arrumasse um trabalho.

Depois que encontramos com o Anacreone pedalamos os últimos quilômetros, agora já avistávamos o oceano no horizonte. Emocionante, sem palavras para descrever. Nos Ingleses vamos à procura do hotel onde o Alexandre ficaria por mais alguns dias de férias. Não demoramos em encontrá-lo. Nos metros finais a emoção misturada com alegria de ambos era radiante. Jamanta ainda arriscou com sucesso uma empinada na bicicleta carregada, coisa que jamais havia visto. Estávamos na praia, finalmente. Mais uma viagem bem sucedida, com certeza a mais tranquila de todas.

Foram 1.193 km pedalados em 9 dias de muitas aventuras.

Grande camarada Alexandre em sua comemoração na chegada aos Ingleses.

No hotel encontramos com o pessoal, tomamos banho antes de almoçar e depois seguimos à praia para um merecido banho de mar. Era nossa comemoração e até o sol resolveu aparecer, tímido é verdade, ainda assim estava lá, como se estivesse nos parabenizando pela vitória.

Praia dos Ingleses.

Curtindo a vida boa. Era apenas o começo da realização de um sonho.

Passei a noite no hotel ciente que no dia seguinte iria voltar os mais de 35 km até o continente para chegar na casa do Alessandro. Na despedida do Alexandre agradeci pela excelente companhia e por todo o apoio. Encontrar um bom companheiro de viagem não é fácil. Em sua primeira experiência nas estradas, Jamanta mostrou-se um verdadeiro camarada.

Continente. Fiz o caminho de volta até a casa do Alessandro no bairro de Capoeiras, por algumas coincidências acabei achando fácil o endereço. Lá fui muito bem recebido por sua família. Sua mãe e irmã prepararam um almoço delicioso. De tarde aproveitei para lavar a bicicleta. Durante a noite, Anacreone me liga avisando que haviam encontrado uma quitinete para alugar nos Ingleses e que tinha lugar para mim. Era tudo o que eu precisava.

Quando se pensa positivo você atrai coisas positivas.

Voltando para o continente em direção à casa do Alessandro. Aqui, pedalando na beira-mar, agora com sol.

Ponte Hercílio Luz.

Falei para o Alessandro sobre as boas novas e informei que no dia seguinte estava de partida. Lá iria eu de novo voltar aos Ingleses, mas nem liguei, era por um bom motivo, excelente, eu diria. Mais uma despedida, dessa vez da família do Alessandro. Não tenho palavras para agradecer a forma como fui bem tratado por todos.

Novamente nos Ingleses, encontro com o Anacreone que me leva até a quitinete que era muito melhor do que imaginava. Agora estávamos os três em busca de emprego. Dois dias depois estava sendo chamado para entrevista e uma semana depois começava a trabalhar, onde continuo até hoje, praticamente oito meses depois. Minha pretensão? Continuar até o final da próxima temporada, março de 2012. Depois o objetivo será seguir para Machu Picchu no Peru.

Em oito meses de Floripa muito coisa aconteceu. Anacreone e Marlon ficaram menos de um mês e voltaram para suas casas. Me mudei de quitinete e arrumei novas pessoas para dividir as despesas. Aproveitei ao máximo o verão, fui quase todos os dias à praia pegar ondas, correr ou simplesmente caminhar. Nada melhor que esse contato direto com a natureza. Esse ambiente praiano era tudo que precisava para continuar a viver em paz.

Estilo de vida que procurei viver:




Nascer do sol na praia dos Ingleses.



Praia Brava.



Banho de mar em pleno inverno.



Começo da noite nos Ingleses.



Pôr-do-sol. Fantástico.



No topo da trilha entre as praias do Ingleses e Santinho.



Ressaca nos Ingleses.



Vida no mar.



Caminhando.



Liberdade!



Felicidade é ter consciência de viver um sonho realizado.



Sete quilos a mais, bem distribuidos. (risos)



Feliz nas ondas. Praia Brava.



Trilha entre a praia dos Ingleses e a Brava.



Um jogo com o amigo Philip, também cicloturista e agora companheiro de quitenet.


Maravilha de vida!



Frescobol.



Trilha em direção à Praia Brava.


Praia do Santinho. Em direção ao Moçambique por trilha.



Praia do Santinho.



Recebendo a visita da minha sobrinha que na ocasião conhecia o mar com apenas 21 dias. Aventureira desde pequena.



Praia Brava.



Restaurante do Arante. Pântano do Sul.



Amizade que não tem preço.

<< Parte 3


16 comentários:

  1. Parabéns camarada
    Muito legal
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. horra kra olhei e babei, muito legal mesmo

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz de ver mais um sonho sendo realizado, e mais feliz por saber que ajudei de alguma forma!

    E o mais interessante é que agora somos colegas de empresa, mesmo que estamos em unidades diferentes. Mais uma dica minha que deu certo!

    Não tem coisa que me deixa mais feliz do que ver um colega feliz ao realizar um projeto, ainda mais quando tem um "dedinho meu" ali !

    Abs
    Kiko Molinari - Carros Raros BR

    ResponderExcluir
  4. hola, chamigo!
    consegui ler tudo de uma só vez kkkk!
    maravilha! parabéns à dupla...conseguiram realizar sonhos praticamente sem nenhum problema maior.
    abraços do amigo do MS
    Elton Xamã

    ResponderExcluir
  5. tchê
    parabens, um dia farei uma dessa
    não importa a idade
    hj com 52 anos redescobri a bike
    abandonei o powerlifting
    e agora é ela, cumprir distancias e redescobrir novos lugares
    muitos dos quais ja conheço
    mas não admirava os lugares, com a bike aprendi a olhar mais por onde passo
    e parabens a tu quando resolver descer pro RIO GRANDE DO SUL, EM SARANDI AS ORDENS
    INDIO VÉIO

    ResponderExcluir
  6. Sonhar todos sonham. Já realizá-los é para poucos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Lembro seguidamente...

    "Cara, aproveita a viagem e esquece a dor, a hora que voltar a trabalhar e seu dia-a-dia voltar pra rotina,vai ter saudades destas dores que tanto lhe encomodam", Nelson.

    Dito e feito, 7 dias depois de voltar das férias e ter realizado a viagem com o Nelson de bike, sinto saudades das dores e lógico da viagem...

    Cara, sem você na viagem acho que não conseguiria chegar ao destino, só tenho a agradecer.

    Aos que pretendem um dia se aventurar em fazer uma viagem destas, só tenho uma coisa a dizer, FAÇA!!! Seu pensamento vai mudar.

    Jamanta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Alexandre! Fui de Toledo até Ciuda del este e achei o máximo, imagine até Floripa; Fim deste mês descerei até Jaguaruna SC, espero que minha aventura seja abençoada assim como foi a de vocês, abraço amigo e continue pedalando.

      Excluir
  8. Adoro viajar junto nestes relatos e o primeiro que li de cicloturimo, e que me despertou para viagens de bike, foi o do Atlântico ao Pacífico que o amigo Nelson participou.

    E este cara é feliz por saber deixar o espírito livre para curtir, saboreando qualquer perrengue que apareça para poder dar risadas depois.

    Parabéns por mais uma conquista e fico muito feliz por estar sendo uma fase maravilhosa ao realizar com sucesso um de seus grandes sonhos.

    Que os bons ventos te guie sempre.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. Alexandre e Jamanta. Parabéns pela magnífica viagem. Estou programando uma cicloviagem de Brasília/DF a Blumenau/SC, pedalando pela BR 153 - Transbrasiliana em fevereiro de 2012. Até lá, já tenho muita históira para contar. Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns.....você é uma inspiração para que eu um dia possa colocar meu sonho de viajar de bike em prática!!!

    ResponderExcluir
  11. Meu sincero agradecimento a todos vocês pelas mensagens. Com certeza, cada palavra incetiva a gente ir cada vez mais longe, pedalando, claro.

    Abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Nelson Neto! Estou me preparando para sair de Toledo - PR até Jaguaruna - SC, vou confeccinar novos alforjes e preparar todo os equipamentos nescessários para sair no final deste mês, espero que minha aventura seja abençoada assim como foi a sua e do Alexandre; Parabéns de novo amigo!.

      Excluir
  12. Guri, acho que tu tens mais garra porque tu és apaixonado pela História,consegues ver e ir mais longe conhecendo as carateristicas de cada lugar todos com sua peculiariedade grandesas e crenças.no Sul tem lugares lindos .

    Abraços
    Maria do Carmo

    Pelotas, RS

    ResponderExcluir